Como me organizo pré prova e o que levar para uma maratona de mountain bike?

Como me organizo pré prova e o que levar para uma maratona de mountain bike?

Como me preparar?, O que levar para uma maratona? São algumas das duvidas de um ciclista antes de encarar sua primeira maratona em mountain bike.

Nosso Amigo, atleta e Treinador Gabriel Salgado (Cycle Team Treinamento Esportivo) irá nos responder estas perguntas com base na sua experiência como treinador e atleta que já competiu várias maratonas e ultramaratonas como Brasil Ride e Desafio dos Rochas.

A organização de uma pré prova tem que ser levada muito a sério, é uma questão que compreende levar para uma prova horas semanais de treino, carga de treino, ritmo de prova (algumas competições antes da prova alvo, são fundamentais), descanso, uma boa logística com hotel já reservado, dias de adaptação no local, sempre são uma boa pedida, mas nem sempre são possíveis, pela correria do dia a dia. Nesse ponto de vista eu diria que seria imprescindível o ponto principal, o treino feito de forma correta, de forma que tenha um balanço entre o stress, a carga de treino e a recuperação. Treinar sem descanso é ruim, descansar sem treino também é ruim; usando palavras de um amigo, eu diria que a falta de motivação faz o mesmo mal que o excesso dela; além de treinos e descanso balanceados, o que é extremamente importante para se levar em uma maratona, é o ritmo de prova, que deve ser adquirido com provas ao longo da preparação, pois, por mais que o ritmo de treino seja intenso, o ritmo de prova é intenso e insano, e essa “insanidade”, sangue nos olhos, faca nos dentes só é adquirido nas provas, somos seres muito competitivos, e o instinto muda muito quando está valendo alguma coisa, mesmo que seja tão somente aquele troféu.

Saindo do lado de preparação, para o lado prático, não podemos esquecer de detalhes importantíssimos, que muita das vezes não damos bola, por exemplo, aquela câmara de ar que vive dobrada, ou levada no bolso, ou fixa no canote da bike, foi conferida recentemente? Essa situação é muito comum, o atleta sai pra competir, ou ate mesmo treinar sem ter conferido esse detalhe, e na hora que precisa dela, ela esta furada…

Bom, antes de falar de equipamentos, entendo que ciclista precisa ser auto suficiente, e saber mexer na sua bike, caso não tenha aprendido ainda, que no mínimo tenha conseguido as ferramentas necessárias para resolver qualquer situação, falando em equipamentos, a sugestão é que se tenha um “kit de sobrevivência”, claro, não sugiro levar peso extra. Ao longo dos anos consegui montar meu kit de sobrevivência e que pesa cerca de 90 gramas, ao meu ver, não pesa nada tamanha funcionalidade, nesse kit tem:

Powerlink, Gancheira, Pastilha de freio meia vida, Cabo de marcha, um bom pedaço de silvertape enrolado em um pedacinho de pau(esse resolve ate quadro quebrado se precisar) Cola, Remendo e Espátulas; esse kit cabe em uma bolsinha bem pequena, fica dentro de um bolso sobrando espaço pra colocar mais coisas se precisar.

Além dessas 90 gramas, levo a câmara de ar (conferida dia a dia) e uma bomba pequena, e ainda um canivete multi funções e tubos de co2 com o acionador. Parece muita coisa, mas sempre distribuo nos 3 bolsos da camisa, e ainda sobra muito espaço em cada um deles, que geralmente coloco o alimento que for levar.

Pensando no lado competitivo, no qual você não quer perder tempo com nada, já deixo na mesa da minha bike o jogo de macarrãozinho para reparos em pneus tubless junto com sua ferramenta (uma chavinha agulha de 3cm) e já fica no canote do selim, um tubo de uma mistura de co2 com selante para resolver situações de furos ou rasgos.

O que não deve ser deixado de lado em uma prova de maratona, é a alimentação/suplementação, talvez o item mais importante a ser considerado, a caramanhola deve estar com suplementação necessária para suportar tantas horas em esforço, e a mesma dose usada, deve ser levada para recarga, no bolso, em um saquinho, porém o conteúdo dessa alimentação/suplementação, é muito pessoal, e deve ter a indicação de um profissional da área de nutrição, pois, o que pode ser bom para um pode ser ruim para outro, depende da demanda de cada organismo e principalmente da adaptação de cada um.

Coma antes da fome, hidrate antes da sede, são fatores importantes também a serem considerados. Respeite seus limites, ouça seu corpo.

Há e não esqueça de se inscrever e garantir sua vaga no Desafio dos Rochas 2018, inscrições até dia 31/03, lembrando que as vagas são limitadas!

Inscreva-se AQUI

Boa prova a todos!

Gabriel Salgado

E-mail: gabriel@cycleteam.com.br

 

This Post Has 2 Comments

  1. Excelente matéria!

  2. Mesmo tendo experiência é bom ouvir dicas de um profissional!
    Ótima matéria, dicas muito úteis!

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Close Menu